x

Menu

Artigos / Artigos

Como o Thinking Environment me auxilia na hora de recrutar?

Artigos

 Munzner

O Thinking Environment pode aprimorar uma entrevista de recrutamento. Normalmente foca-se em descobrir se a pessoa tem certas habilidades para participar do time da empresa. Mas atualmente, diante de cenários de crise e imprevisibilidade, é cada vez mais necessário ter pessoas nas organizações que saibam pensar por si e ir além de processos, criar novas alternativas. Isso você consegue descobrir ao criar um Thinking Environment (Ambiente para Pensar) para seu entrevistado.

Thinking Environment

Qual é o diferencial do Thinking Environment?

A escuta profunda sustentada por quem está criando um Ambiente para Pensar consegue evocar o melhor pensamento do entrevistado.

Em uma entrevista na qual você consegue sustentar os Dez Componentes do Thinking Environment, é possível compreender a maturidade do entrevistado para pensar por si, o quanto de estruturas e processos ele precisa e o quanto consegue ser sincero sobre seu potencial, gaps de desenvolvimento, seus sonhos e capacidades. Você descobre isso quando cria um espaço em que ele realmente se sente à vontade para dizer o que pensa e sente.

 

Thinking Environment

O que faz o Thinking Environment funcionar?

a) Atenção sem interrupção

Sabendo que a forma com que você faz essa entrevista também definirá as pessoas que você terá em sua equipe, sugerimos focar no entrevistado com genuína atenção, sem interrupção. Ou seja: faça anotações no fim do processo, depois do entrevistado ter terminado sua fala. Ao interromper a conexão do olhar porque sua atenção vai para o papel, pode interromper também o fluxo de pensamento do entrevistado.

b) Instigue o entrevistado a continuar seus pensamentos

Quando o entrevistado estiver falando, ouça até que o pensamento seja concluído. Em seguida, ao invés de já perguntar sobre outros assuntos, pergunte: “o que mais você gostaria de dizer ou pensar sobre esse tema?”. É uma técnica simples, mas que pode trazer resultados preciosos, pois convida o entrevistado a entrar em camadas mais profundas e novos pensamentos sobre o que está trazendo antes de ser direcionado para uma nova pergunta. Você poderá perceber como a pessoa lida com imprevistos em um mundo cada vez mais volátil.

c) Apreciação no início ou fim do processo

Fazer uma apreciação é uma forma de quebrar o gelo ou de fechar a entrevista de maneira positiva. Apreciar o outro não é apenas elogiar, mas sim constatar algo positivo de algo que a pessoa é em sua essência e não de suas realizações. Não só constatar, como falar isso de forma sucinta, sincera e específica é importante e pode fazer diferença durante a entrevista!

Thinking Environment

A aplicação do Thinking Environment para entrevistas é tratada no Curso de Fundamentos mas pode ser contratada a parte em programas in-company. Inclusive pode ser utilizado em todo tipo de entrevista como jornalísticas, tv e revistas.

Aliás, Nancy Kline, criadora do método, nos contou que odeia dar entrevistas para a televisão e só concordou em fazer entrevistas que estão no site dela por saber que o entrevistador estava sustentando o Thinking Environment, ou seja, um Ambiente Para Pensar enquanto ela falava. Acompanhe uma entrevista dela e veja, ouça, perceba a diferença, independente de você compreender o inglês:

Quer desenvolver a escuta profunda nas suas entrevistas, seja de recrutamento ou de outra natureza? Entre em contato conosco pelo contato@munzner.co Para saber sobre nossos próximos cursos, clique aqui.

Outros artigos relacionados a esse tema:

Conheça cinco habilidades do Thinking Environment essenciais ao profissional de RH

Dedicar sua atenção ao outro pode mover montanhas