|

Como resolver conflitos com o Thinknig Environment

Algumas dicas para encontrar oportunidades de solução em meio ao conflito.

Você tem o costume de fugir de conflitos?

Dentro das empresas, algumas pessoas possuem o hábito de evitar conflitos o máximo possível. Percebe-se o clima pesado decorrente de algo que está acontecendo, mas a possibilidade de diálogo frequentemente é ignorada para evitar qualquer desgaste ou precisar enfrentar verdades e desafios.

Fugir seria a solução mais produtiva? De acordo com a Deep Democracy, metodologia sistêmica que integra conceitos de física quântica, psicologia, antropologia e espiritualidade, é necessário olhar para todas as esferas da realidade e encarar os fatos.

É entender o conflito como uma oportunidade.

Como começa o conflito

É importante termos consciência de como o conflito começa e seus diversos níveis para, quando ele surgir, fazer uma observação realista sobre a situação.

Segundo Friedrich Glasl, o conflito pode ser representado em uma escala com 9 estágios.

Cada nível é uma descida para camadas inconscientes mais profundas, primitivas e desumanas, chegando ao momento do total descontrole. À medida que os níveis vão subindo, o irracional se aprofunda.

No primeiro nível, ainda é possível chegar a um consenso e ambas as partes ganharem:

  • Tensão/endurecimento: conflitos começam com tensões (ex: divergência de opinião sobre algo).
  • Debate/polêmica: ambas as partes começam a montar estratégias para convencer o outro de que tal posicionamento é correto.
  • Ações ao invés de palavras: as discussões acabam, o respeito acaba e há apenas gestos e outras comunicações não-verbais.

No segundo nível, um perde e outro ganha. O controle das consequências do conflito começa a desaparecer:

  • Coalizões: cada um tenta encontrar defensores para ficar ao seu lado. O objetivo agora não é mais discutir o assunto e sim ver quem dos dois ganha.
  • “Perder a cara”: perda de moral e de credibilidade é a fase em que um tenta desmoralizar e denegrir o outro.
  • Estratégia de ameaças: quando um começa a ameaçar o outro. A dimensão da credibilidade da ameaça depende do poder da consequência negativa da mesma.

No terceiro nível, ambos perdem e não há mais controle sobre a situação:

  • Destruição limitada: o oponente não é mais visto como humano. De agora adiante, perdas pessoais são vistas como ganho se o prejuízo para o oponente for maior.
  • Aniquilação total: o oponente precisa ser aniquilado de todas as formas.
  • "Juntos para o abismo”: a partir deste ponto, a aniquilação pessoal é aceita para derrotar o oponente.
  • Tomada de decisão: negar ou encarar o conflito.

Quando os níveis de conflito estão altos, soluções racionais não adiantam mais

Aliás, esse é um problema sério e recorrente em várias empresas: quando as pessoas dão sinais irracionais que estão em conflito e isso é negado.

É hora de encarar a realidade: problemas emocionais só se resolvem pelo emocional. Em um momento de conflito, qualquer apelo para o racional não vai mais funcionar.

Aliás, qualquer método de resolução de conflito só vai funcionar se um ou os dois parceiros estiverem dispostos a sair de seu posicionamento e buscar uma resolução.

De qualquer maneira, neste momento é necessário observar o nível do conflito, analisar a realidade e tomar uma decisão: negar ou encarar a realidade.

Se você optou por encarar o conflito, convidamos a usar três premissas para fazer isso de maneira saudável:

  • Ficar na relação: o relacionamento deve ser mais importante que ganhar ou perder a discussão.
  • Ninguém ter o monopólio da verdade: presumir que não existe certo e errado, assim como perceber que o conflito é uma oportunidade para conhecermos mais sobre nós mesmos.
  • O conflito traz crescimento: ele nos ajuda a descobrir uma parte de nós que não conhecemos.

Como resolver com Thinking Environment: pares de conflito

Encarar o conflito é, muitas vezes, a decisão mais sábia. Porém é preciso fazer isso com assertividade.

O Thinking Environment, metodologia de Nacy Kline, convida as pessoas a resolver os problemas por meios não racionais - e esta é a grande diferença.

.Os Pares de Conflito é um programa de resolução de conflito que adaptamos a partir do Thinking Environment.

1 - Pares de conflito: vontade mútua de resolver o conflito

Entendendo o conflito como uma oportunidade, nós chamamos cada pessoa envolvida no conflito para uma sessão de “Parceiria de Conflito”. Ela só funciona se ambos estiverem interessados em uma solução para o impasse..

2 - Ambiente de segurança e formação de acordos

Começamos a sessão de Thinking Environment criando um ambiente de segurança: um espaço seguro para as pessoas se abrirem e dizerem o que pensam e sentem.

É preciso se posicionar de uma maneira com que as pessoas confiem no processo e no facilitador, fazendo acordos claros e sustentando os 10 componentes.

Aliás, o facilitador da sessão, também conhecido como mediador, não vai interferir em nada - vai apenas sustentar esses componentes.

3 - Primeira rodada: identificar a pergunta de cada um

Após o facilitador se apresentar e combinar os acordos, ele libera 10 minutos para cada um pensar sobre o que cada um busca solução.

O convite é refletir sobre a situação e elaborar uma pergunta como “eu devo continuar trabalhando nesse projeto?”.

4 - Segunda rodada: o que cada um realmente busca

Após a formulação da pergunta, os participantes falam em voz alta suas perguntas.

O mediador, então, faz uma pergunta incisiva para tirar os bloqueios e encontrar o que cada um da dupla realmente busca. Por exemplo: “o que você supõe que está te impedindo de querer continuar nesse projeto?”.

5 - Momento de checagem dos objetivos

Após essa provocação, cada participante tem 5 minutos para refletir e elaborar o que cada um está realmente buscando nessa sessão. Há uma sessão de Duplas de Pensamento com cada um.

No segundo momento, cada participante fala em voz alta o seu objetivo elaborado - e geralmente percebe que ambos os parceiros estão atrás da mesma coisa.

Apenas falaram o mesmo pedido com palavras diferentes. Portanto, chega-se ao objetivo principal do conflito e ele será o foco do diálogo que vem a seguir.

6 - Diálogo entre os pares

Nesta etapa dos Pares de Conflito os bloqueios já foram removidos.

Algo já foi aliviado, portanto os parceiros já conseguem se olhar e conversar. Então o facilitador explica os acordos do diálogo dentro do Thinking Environment e libera a dupla para interagir.

7 - Apreciação

Cada um anota seus insights e seus novos acordos.

Para finalizar, uma apreciação é feita: cada um (incluindo o facilitador) se abre para falar sobre algo positivo no outro que apareceu durante a sessão e dar este feedback.

Para saber mais sobre o Thinking Environment e a resolução de conflitos, leia sobre um caso real clicando neste link.

Aprofunde-se no Thinking Environment com a Munzner

Leia também

O componente Sentimentos na prática do Thinking Environment

Se você acolhe a expressão dos Sentimentos das pessoas e se mantém tranquilo na presença de suas lágrimas, de sua raiva ou medo, elas pensarão melhor perto de você do que se você tentar anestesiá-las. Nancy Kline, tradução livre do seu livro More Time to Think Diferenciando sentimento de emoção Para o entendimento do componente […]

Ler artigo
O poder da remoção de pressupostos limitantes

Steffen Münzner, fundador da Munzner e pioneiro do Thinking Environment no Brasil, explica o que significa pensar por conta própria. Como aprender a pensar por conta própria? A capacidade de manter o pensamento independente e autônomo - aquele que é livre de sugestões e influência das outras pessoas - pode ser treinada em ambientes de […]

Ler artigo
O Coach essencial e, ao mesmo tempo, irrelevante

Nos perguntamos várias vezes se o Programa de Coaching do TE deveria mesmo se chamar "Coaching", pois ele quebra alguns paradoxos das linhas de Coaching que conhecemos até o momento. O Coach é essencial porque, sem ele, você não tem o ambiente de Thinking Environment que liberta os seus pensamentos. Além disso, ele se baseia […]

Ler artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Imersão 2019 - 9 a 16 de outubro de 2019

Matrículas abertas só até 31 de setembro!

Em 2019 teremos uma semana especial com os Cursos de Formação em Thinking Environment, realizados num sítio perto de Curitiba - Paraná.
Conheça a Imersão 2019

Empresas que já tiveram contato com o Thinking Environment

Nos últimos anos a Munzner treinou diversos profissionais que também foram pioneiros em levar o Thinking Environment para dentro de suas empresas.

Earthworm Foundation

GIZ – German Development Cooperation

Alltech do Brasil

Sustentare Escola de Negócios

FAE

ISAE

UniCesumar

Darnel Group

PUC Paraná - Escola de Negócios

Petrobras

Grupo Boticário

Oi

IBM

SENAR

Perkons

Famiglia Zanlorenzi

Riosulense

Comece sua jornada no Thinking Environment

Inscreva-se para receber nossos materiais educativos.

Virtus Desenvolvimento Integral
CNPJ 20.085.269/0001-25
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram