|

Relações humanas são a maior fonte de estresse no ambiente de trabalho

A maioria dos fatores de estresse nas empresas são causados por relacionamentos de má qualidade.

A forma com que as pessoas se tratam na empresa afeta diretamente seu nível de estresse, reduzindo sua produtividade e aumentando as chances de desenvolver alguma doença grave.

A cultura organizacional pode definir os comportamentos socialmente aceitos dentro da empresa, tanto pelo caminho da hostilidade como da apreciação. Reuniões e apresentações podem ser inclusivas e participativas, ou opressoras.

Numa empresa com um ambiente estressante, as pessoas precisam falar mais alto do que as outras para que sejam ouvidas. As informações são sonegadas para uso de poder e as pessoas não se sentem acolhidas e reconhecidas.

O que dizem as pesquisas sobre o estresse no ambiente de trabalho

Cooper e Marshall, em 1976 (1), fizeram uma completa revisão da literatura científica sobre estresse no ambiente de trabalho, buscando desenvolver um modelo de análise que relacionasse os fatores causadores de estresse com a ocorrência de doenças do coração e da mente.

O estudo organizou as causas do estresse no trabalho em 5 grandes áreas, cada uma com fatores específicos.

  1. Questões do trabalho: más condições do ambiente de trabalho, excesso de carga de trabalho e pressões relacionadas ao tempo.
  2. Papel na organização: falta de clareza e conflitos relacionados à função da pessoa na empresa, problemas com responsabilização e conflitos relacionados a limites no ambiente de trabalho.
  3. Desenvolvimento da carreira: promoção precoce e promoção tardia, falta de estabilidade no trabalho.
  4. Relacionamentos no trabalho: má qualidade no relacionamento com o chefe, subordinados e colegas, além de dificuldades em se comunicar e delegar tarefas.
  5. Cultura organizacional: falta de participação na tomada de decisão, restrições de comportamento e questões políticas.

Esses fatores causadores do estresse, aliados às características de personalidade como nível de ansiedade, tolerância à ambiguidade e à incerteza e o perfil de comportamento, podem levar a sintomas de doença ocupacional como aumento de pressão arterial, dos níveis de colesterol no sangue, na taxa de batimentos cardíacos, tabagismo, alcoolismo, insatisfação no trabalho, depressão e assim por diante.

Como consequência mais grave desse quadro temos as doenças do coração e as doenças da mente.

Falta de apoio social e organizacional pode gerar ainda mais estresse para os profissionais

Um estudo publicado na Revista Gaúcha de Enfermagem (2) investigou o estresse em médicos e enfermeiros de um hospital.

Os resultados mostraram que ambos os profissionais eram expostos ao estresse, mas os médicos tinham mais controle sobre o próprio trabalho e recebiam maior apoio social do que os enfermeiros.

Segundo os autores, o apoio social e organizacional é um fator que pode aliviar eventos estressantes, colaborando para a superação das dificuldades do dia de trabalho.

Essa superação promove confiança pessoal e maior bem-estar psicológico.

Crie ambientes saudáveis com o Thinking Environment

Envie uma mensagem para receber o contato de um consultor Munzner para treinamentos e consultoria in company.

    Falta de clareza sobre seu papel na empresa afeta a vontade de trabalhar

    A ambiguidade de papéis é fator causador de estresse, gerando insegurança quanto às suas responsabilidades no trabalho (3).

    A falta de clareza a respeito do próprio trabalho influencia as expectativas sobre nosso futuro na empresa, gerando frustração e ansiedade diariamente.

    Falta de planejamento gera excesso de trabalho e é uma das principais causas do estresse

    O estresse no ambiente de trabalho é um problema mundial.

    No Reino Unido, cerca de 37% das empresas observaram um aumento no absenteísmo causado por estresse em relação ao ano passado. Uma pesquisa realizada pela Chartered Institute of Personnel and Development, em parceria com a Simplyhealth (4), investigou as causas e consequências do estresse nas empresas de lá.

    Os resultados mostraram que 62% do estresse relatado pelos profissionais estava relacionado ao excesso de carga de trabalho.

    O problema não é só o excesso de volume de trabalho, mas também os prazos curtos para sua execução. A grande demanda de trabalho mostra dificuldade de priorização por parte dos líderes, bem como a falta de planejamento e a ineficiência das reuniões.

    Relações humanas de má qualidade respondem pela maioria do estresse, segundo os próprios funcionários

    O mesmo estudo mostrou que o estilo de gestão foi responsável por 43% do estresse e o relacionamento com colegas ficou com 30% de influência.

    O estresse foi responsável por 45% do absenteísmo, ficando atrás de problemas relacionados à saúde mental (59%) e empatado com fraturas e acidentes.

    Ou seja, nossos ambientes de trabalho estão tão tóxicos que tem mais pessoas faltando por estresse do que por machucados!

    Como diminuir o estresse nas empresas? Está na hora de irmos na raiz do problema e investir em ambientes de qualidade

    O estresse causa grandes prejuízos às empresas não só por influenciar diretamente as causas de absenteísmo, mas também por reduzir a confiança pessoal e a vontade de trabalhar.

    As pessoas têm tratado o estresse com medicação e atividades relaxantes, ou seja, buscando atenuar os sintomas. De forma geral, soluções temporárias tendem a repetir os sintomas até que a raiz do problema seja encontrada.

    Precisamos, então, de uma solução sistêmica.

    Será que os líderes estão sendo treinados adequadamente para criar ambientes que promovam a qualidade das relações? Que deem segurança psicológica e ensinem as pessoas a se tratarem de forma apreciativa?

    O que você acha desse assunto? Compartilhe suas ideias sobre o estresse no ambiente de trabalho nos comentários desse artigo. Queremos conhecer um pouco mais de você e suas opiniões sobre isso!

    Referências deste artigo:

    1. https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.2044-8325.1976.tb00325.x
    2. http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v39/1983-1447-rgenf-39-e65127.pdf
    3. http://www.scielo.br/pdf/rap/v45n3/09.pdf
    4. https://www.cipd.co.uk/about/media/press/rise-stress-poor-management

    Foto de chuttersnap para o Unsplash

    Aprofunde-se no Thinking Environment com a Munzner

    Leia também

    O que fazer e o que não fazer como Coach para sustentar um Thinking Environment?

    Este texto é uma continuação da nossa série de artigos sobre as Perguntas Incisivas, se você não leu ainda, veja o texto anterior onde Trisha Lord descreve o que acontece em uma Sessão de Parceria de Pensamento ou coachin Não são as Perguntas Incisivas que funcionam, mas a qualidade da sua atenção e presença para […]

    Ler artigo
    Cultivando coragem - Um exemplo de aplicação da Pergunta Incisiva na Sessão da Parceria de Pensamento ou em Coaching.

    *Este texto é uma continuação da nossa série de artigos sobre as Perguntas Incisivas, se você não viu ainda, leia o texto anterior onde falamos sobre o poder das Perguntas Incisivas e como aplicá-las a fim de sustentar um Thinking Environment. John é um homem encantador. Ele é inteligente, engraçado e corajoso. Mais uma vez, […]

    Ler artigo
    O poder das Perguntas Incisivas e como aplicá-las

    *Este texto é uma continuação da nossa série de artigos sobre as Perguntas Incisivas. Se você não leu ainda, confira o texto anterior onde falamos sobre o que são as Perguntas Incisivas e como construí-las. Em seus diálogos, encontros e reuniões, você considera possível pensar por si mesmo com fluidez e liberdade para se expressar […]

    Ler artigo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.

    Imersão 2019 - 9 a 16 de outubro de 2019

    Matrículas abertas só até 31 de setembro!

    Em 2019 teremos uma semana especial com os Cursos de Formação em Thinking Environment, realizados num sítio perto de Curitiba - Paraná.
    Conheça a Imersão 2019

    Empresas que já tiveram contato com o Thinking Environment

    Nos últimos anos a Munzner treinou diversos profissionais que também foram pioneiros em levar o Thinking Environment para dentro de suas empresas.

    Earthworm Foundation

    GIZ – German Development Cooperation

    Alltech do Brasil

    Sustentare Escola de Negócios

    FAE

    ISAE

    UniCesumar

    Darnel Group

    PUC Paraná - Escola de Negócios

    Petrobras

    Grupo Boticário

    Oi

    IBM

    SENAR

    Perkons

    Famiglia Zanlorenzi

    Riosulense

    Comece sua jornada no Thinking Environment

    Inscreva-se para receber nossos materiais educativos.

    Virtus Desenvolvimento Integral
    CNPJ 20.085.269/0001-25
    linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram